Mercado náutico no Brasil fatura R$ 2 bilhões, vive momento histórico e embarcações de luxo são vendidas com fila de espera

Mercado náutico no Brasil fatura R$ 2 bilhões, vive momento histórico e embarcações de luxo são vendidas com fila de espera

Venda de embarcações de luxo no país supera crise global e movimenta R$ 2 bilhões em 2021. Filas para a compra de iates são formadas e empresas estrangeiras passam a construir suas embarcações no Brasil.

Mercado náutico brasileiro supera crise global causada pelo coronavírus e faturou R$ 2 bilhões somente no ano passado, afirmam os dados da Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e seus Implementos, a ACOBAR. E não para por aí, o setor promete crescer 10% esse ano gerando filas para a compra de iates.

De olho na expansão do mercado brasileiro, fabricantes internacionais, passam a construir suas embarcações no Brasil, têm trazido seus modelos ao país na chance de atrair compradores ou quem sabe até investidores, já que por aqui o mercado de aluguel de barcos também é atraente.

Segundo Ernani Paciornik, presidente do Grupo Náutica, que realiza a Rio Boat Show e também a São Paulo Boat Show, a busca por iates vai além do mundo dos milionários. “Você pode começar comprando um barco de R$ 50 mil e depois vai pensando em adquirir um maior”, diz. Paciornik explica que o sucesso dos últimos anos é reflexo direto da pandemia e do isolamento social.

“As pessoas perceberam que o lazer é importante e viram nos barcos uma opção. É como uma casa de campo, mas o barco é uma ilha e te leva para qualquer lugar”, diz. O Brasil possui mais de sete mil quilômetros de litoral, isso sem falar nos rios e represas que também aceitam a presença de embarcações.

Para ele comprar um barco, seja um iate de luxo ou um modelo mais econômico é como ter “um segundo carro”. Algo possível para certa parcela da classe média. Para quem tem o desejo de adquirir uma embarcação de luxo ou econômica, há bancos que trabalham com financiamentos.